Curiosidades

A História do Concorde

28/10/2019
historia-do-concorde

O Concorde foi um dos aviões supersônicos a operar com o transporte de passageiros na aviação comercial, ao lado do russo Tupolev TU-144. A história do Concorde começou a ser escrita no ano de 1965 com sua fabricação, que feita através de um consórcio entre a britânica British Aircraft Corporation e a francesa Aérospatiale. O objetivo de seus idealizadores era criar uma aeronave capaz de operar duas vezes acima da velocidade do som.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
Powered by Rock Convert

Dentro deste cenário, o grande desafio era conseguir aliar tecnologias de potência e velocidade (já existente em aviões militares)  a uma boa autonomia, para reduzir a necessidade de paradas obrigatórias para reabastecimento. É neste cenário que entra em cena as fascinantes asas do Concorde. Além de trazerem colaboração aerodinâmica para o modelo, boa parte do combustível era armazenado nelas. Essa também foi uma estratégia encontrada pelos engenheiros para refrigeração, já que o combustível era utilizado para resfriar as asas da aeronave.

Além das asas, outro fator aerodinâmico destacado no Concorde é seu bico. Seu design, mais comprido e pontiagudo do que de outros jatos comerciais, tem o objetivo de reduzir o atrito com o ar. Entretanto, o ganho aerodinâmico reduz a visibilidade dos pilotos. Para contornar esse problema, foi desenvolvido um mecanismo que abaixa o bico da aeronave na hora do pouso e decolagem, aumentando o campo de visão dos pilotos.

O primeiro voo de teste do Concorde foi realizado em março de 1969. Já em 1971, a aeronave realizou voos de apresentação, visando encontrar potenciais compradores. Contudo, o número de interessados reduzia-se conforme vários problemas foram aparecendo, como a poluição atmosférica gerada pelo modelo, o início da crise do petróleo e até mesmo o barulho gerado pelo Concorde ao atingir velocidades supersônicas.

Brasil como primeiro destino

A história do Concorde só existe graças a duas companhias aéreas que, apesar dos problemas apresentados anteriormente, mantiveram interesse de compra no modelo: a British Airways, do Reino Unido, e a Air France, da França. Os primeiros voos comerciais foram realizados em 21 de janeiro de 1976. Nesta data, dois aviões decolaram, simultaneamente, de Londres e Paris, tendo com destino Bahrein e Rio de Janeiro, respectivamente.

Anos de glória

Após um começo de operações turbulento, por conta de adaptações devido ao barulho, além de dificuldades para obter lucros, o Concorde começava a atingir seu auge nos anos 80. Operando a uma velocidade de 2.200 km/h, a aeronave oferecia viagens muito mais rápidas. Além disso, o Concorde tinha voo de cruzeiro em altitudes entre 50 e 55 mil pés (15.240 e 16.764 metros), onde raramente enfrentava turbulências.

Encerramento das atividades

Em julho de 2000 acontece o primeiro acidente do Concorde em 24 anos de operação. Ao decolar de Paris, um modelo da Air France sofreu um dano estrutural na asa, causando sua queda logo após a aeronave alçar voo, não deixando sobreviventes. O dano foi causado pelo estouro de um pneu, gerado por uma peça de um DC-10, que havia decolado minutos antes na mesma pista.

As operações com Concordes ficaram proibidas até que fossem implementadas melhorias para tornar estas aeronaves mais seguras. Em setembro de  2001 o Concorde voltou a voar, mas seus dias nos ares estavam contados. As operações tornaram-se muito caras devido aos altos custos de manutenção e combustível, fazendo com que as atividades da aeronave fossem encerradas no ano de 2003.

Para ficar por dentro de tudo sobre o mundo da aviação, nos siga nas redes sociais e acompanhe nossas melhores publicações! Estamos no Facebook, Twitter, YouTube, Instagram, Pinterest e LinkedIn.

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário