Formação Aeronáutica

Afinal, o que é preciso para tirar brevê de piloto?

março 15, 2019
breve-de-piloto
Tempo de leitura 4 min

Há alguns anos, pilotar um avião era um sonho muito caro e demorado. Muitas pessoas consideravam privilégio para poucos sortudos e, por isso, desistiam de ingressar na carreira. Mas nos dias de hoje sonhar com o brevê de piloto é algo bem mais real e atingível.

É verdade que o candidato precisará se dedicar a muitas horas de estudos teóricos, investimentos em aulas práticas e ser disciplinado para concluir todas as etapas necessárias e alcançar a desejada carteira de piloto.

Por isso, vamos abordar neste post os passos necessários, entender as regras e saber quanto custa para ter em mãos a autorização de voo e iniciar a carreira profissional com sucesso. Quer saber tudo sobre como tirar o brevê de piloto? Continue nos acompanhando nesta leitura.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
Powered by Rock Convert

O que é brevê de piloto?

A Carteira de Piloto Privado – CHT, ou brevê como é chamada, é o documento que autoriza o tripulante a pilotar uma aeronave. É classificado por categorias que variam conforme quantidade de passageiros e carga das aeronaves.

Por isso, pode ser usado por pilotos profissionais e também amadores que desempenham atividades relacionadas à prática de voo somente como hobby.

Por ser um documento, ele tem validade e, portanto, precisa de renovação. O período aceitável para regularização é de 90 dias, o qual abrange os 30 dias antes e depois da data de vencimento.

Quais são as regras para obter a carteira de piloto?

A ANAC tem uma lista de exigências que são indispensáveis para quem deseja tirar o primeiro brevê de piloto. Portanto, os candidatos devem ficar atentos para comprovar o cumprimento de todos os pré-requisitos diante do órgão.

Por isso, relacionamos abaixo todas as orientações necessárias para dar início ao processo de certificação:

  • ter o Ensino Médio concluído;
  • ter 18 anos completos;
  • ser aprovado no exame teórico da ANAC;
  • ter o Certificado Médico Aeronáutico (CMA) de 2ª classe ou superior, válido;
  • ter no mínimo 40 horas de instrução e voo solo, podendo ser 35 horas totais, se todas forem completadas de forma ininterrupta, em curso aprovado pela ANAC;
  • ter todas as horas de voo solo e instrução registradas na Carteira Individual de Voo (CIV) do candidato;
  • ser aprovado no exame de proficiência pertinente (cheque); e
  • ter realizado os pagamentos das GRUS e taxas necessárias.

Como tirar o brevê?

O primeiro passo, na verdade, deve ser o ingresso do candidato em uma escola de aviação para obter o conhecimento teórico e iniciar as horas de voo, a fim de acumular a carga horária exigida. Além, é claro, de obter conhecimento para aprovação no exame teórico.

Para uma formação mais completa, muitos candidatos optam por um curso superior de Ciências Aeronáuticas. Dessa forma, o conhecimento técnico e prático é agregado à habilidade de trabalhar em equipe, relacionar-se e gerenciar crises.

O cadastro de horas de voo e a solicitação de licenças e habilitações são realizados online, pelo site da ANAC, que apresenta todas as orientações. É preciso lembrar que ao retirar a CHT o piloto não está apto para comandar voos comerciais, pois para isso são necessárias 110 horas de voo adicionais.

Quem pode obter a carteira e quanto custa?

Não pense que é para qualquer um. Embora as exigências básicas da ANAC incluam restrições em relação à idade e à escolaridade, para tirar o brevê de piloto o candidato deve ser comprometido com estudos, disciplinado e determinado para aprender todos os comandos e controles.

Entre os principais investimentos estão:

  • exames médicos;
  • exames teóricos;
  • horas de voo;
  • taxas da ANAC.

Os valores podem ter variações conforme a clínica médica utilizada e a escola escolhida para ingresso nas aulas práticas.

Durante o cadastro e solicitação pelo site da ANAC, as Guias de Recolhimento da União – GRU serão geradas com as taxas correspondentes para pagamento.

Todo esse processo pode parecer longo, complicado e caro, mas com as orientações encontradas neste post, aliadas a boas escolhas de materiais adequados para os estudos, é possível tirar o brevê de piloto e iniciar a carreira profissional tão sonhada.

Se você gostou das dicas e deseja embarcar de vez na decisão de comandar o cockpit, baixe agora o e-book Guia para a Formação de um Piloto e obtenha mais orientações.

Para ficar por dentro de tudo sobre o mundo da aviação, é só seguir a gente nas redes sociais. Estamos no Facebook, Twitter, YouTube, Instagram e LinkedIn.

Powered by Rock Convert

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário