cemiterios-de-avioes

Como Funcionam Os Cemitérios De Aviões

Centenas de aviões cruzam os céus todos os dias, seja para voos comerciais ou particulares. Muitas pessoas se perguntam o que acontece com as aeronaves quando elas se tornam antigas e não possuem mais condições propícias e seguras para seguir realizando voos.

É neste momento que entram em ação os “cemitérios de aviões”. Neste artigo, vamos explicar o que são e o que acontece com as aeronaves que não são mais utilizáveis. Acompanhe:

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
Powered by Rock Convert

Qualquer avião que seja considerado velho e que esteja com alguma espécie de dano estrutural, é levado temporariamente para uma área de armazenagem.

Tratam-se de locais com amplo espaço que normalmente são alocados longe de cidades metropolitanas. Essas áreas devem ter condições operacionais para o trânsito dessas aeronaves e, de preferência, estarem em locais desertos.

Infelizmente, não existe cemitério de aviões no Brasil. A maioria deles se  encontra nos Estados Unidos. Além destes, existem outros dois que são conhecidos mundialmente e estão no Aeroporto Internacional de Manas no Quirguistão e no Aeroporto de Teruel na Espanha.

O que acontece com as aeronaves que vão para estes cemitérios?

Aviões que não serão mais usados são levados para a reciclagem. Neste caso, o metal pode ser revendido para fundições e as peças reaproveitadas em outras aeronaves.

É importante ressaltar que estas máquinas não ficarão expostas ao tempo até que enferrujem e virem sucata. Elas estão ali como fonte de “matéria-prima” e suas partes receberão novas funções.

Vale destacar que o motor de um avião possui um alto valor de mercado e tem mais retorno financeiro ao ser vendido separadamente. Cerca de 80% do valor de uma aeronave está em seus motores.

Muitos proprietários de aviões, acabam optando por um “cemitério”, pois alugar um espaço em um hangar é algo que demanda um grande investimento e  pode acabar não compensando.

Aquelas peças que ainda tem uso garantido ficam neste espaço para que possam receber manutenção preventiva ou corretiva. Talvez a palavra mais adequada não seja cemitério e sim centro de reabilitação.

Como é feito o desmonte?

O primeiro passo é a retirada de qualquer resquício de combustível que esteja dentro do avião. Por questões de segurança, os tanques devem ser totalmente esvaziados. Os fluidos retirados seguem para tanques situados em aeroportos.

Como as partes mais valiosas das aeronaves são seus motores, o desmonte começa por ali. Meticulosamente, os motores são retirados de forma que não haja nenhum dano que impossibilite uma possível reutilização. Antes da remoção, é feita uma impermeabilização em cada motor.

Outras partes do avião também são muito importantes e possuem grande valor financeiro são:

  • O trem de pouso;
  • A Unidade Auxiliar de Energia;
  • O sistema de ar condicionado;

As partes com menor valor podem ser revendidas para escolas de pilotos e comissários de bordo.

Em resumo, nada é desperdiçado, pois até os bancos, os cintos de segurança e as máscaras de oxigênio podem ser revendidas. E a demanda por estes utensílios é muito grande.

Infelizmente, um dos  grandes problemas da indústria da aviação é justamente o envelhecimento da  frota de aeronaves e isso vem se tornando um desafio cada vez maior. Hoje em dia, cerca de 400 aviões são desmontados anualmente.

Conheça nosso site de produtos para profissionais e entusiastas da aviação!

Para ficar por dentro de tudo sobre o mundo da aviação, nos siga nas redes sociais e acompanhe nossas melhores publicações! Estamos no Facebook, Twitter, YouTube, Instagram, Pinterest e LinkedIn.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.