Formação Aeronáutica

Piloto de avião: como é o mercado profissional?

novembro 30, 2018
piloto de avião
Tempo de leitura 6 min

Trabalho dinâmico, altos salários e a possibilidade de viajar o mundo conquistando os céus são alguns dos atrativos da carreira de piloto de avião. Os profissionais dessa área costumam se orgulhar de sua profissão, demonstrando sempre muito prazer e satisfação. Isso desperta a curiosidade entre as pessoas que pensam em seguir seus passos.

Escolher uma carreira, contudo, não é tarefa das mais simples. Obviamente, os prazeres da profissão devem ser considerados no momento de decisão, mas outros fatores também precisam ser colocados na balança. Qual o investimento — tanto de tempo quanto de dinheiro — para que se alcance a posição almejada? Como será a rotina? E principalmente: como está o mercado de trabalho?

É por essas e outras dúvidas que decidimos trazer este artigo até você. Por isso, se você quer saber mais sobre como anda o mercado profissional para pilotos de avião, além de dicas sobre o que fazer para se tornar um, é só continuar a leitura deste texto!

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
Powered by Rock Convert

A carreira na aviação

Se você já fez uma pesquisa, mesmo que breve, com certeza chegou à conclusão de que o caminho para se tornar um piloto de avião pode ser bastante longo. Para quem está pensando em começar, o primeiro passo é tirar a certificação da ANAC para piloto privado, requisito para quem quer, no futuro, se tornar um piloto executivo ou comercial.

Para isso, é necessária a realização de um exame médico de 2ª classe chamado de Certificado Médico Aeronáutico (CMA) para que se inicie um curso de piloto teórico em uma escola de aviação, no qual temas como Meteorologia, teoria de voo e navegação aérea serão estudados.

Esse curso em escolas homologadas era uma exigência da ANAC para que o teste escrito de 100 perguntas pudesse ser realizado. Mas, segundo o Comandante Denis Bianchini, o curso não é mais obrigatório e os interessados podem buscar materiais e conteúdos em outras plataformas. Essa decisão sem dúvidas diminui os custos de formação para aqueles que estão buscando essa ocupação. Interessante, não é mesmo?

Após a certificação no exame teórico, a pessoa estará apta a iniciar o treinamento prático, que exigirá, no mínimo, 35 horas de voo, além de um voo de avaliação ao final do curso. Após a avaliação, o piloto poderá operar apenas aeronaves particulares, até que a licença de piloto comercial seja obtida.

O processo da ANAC para essa certificação é bastante semelhante, exigindo exame médico, prova teórica e número mínimo de horas de voo para aprovação, porém com critérios diferenciados. Após a obtenção dessa licença, o piloto já estará apto a exercer atividade remunerada.

O mercado profissional

Com a licença em mãos, o próximo passo já é conquistar aquele emprego na companhia aérea dos sonhos, correto? Claro que não! Até chegar ao ponto de uma contratação desse nível, qualquer piloto de avião deve praticar muito. As exigências das companhias costumam ser de, no mínimo, 500 horas de voo, podendo chegar a muito mais do que esse número.

Além disso, ter os requisitos mínimos da companhia não garante a contratação. Infelizmente, o mercado profissional para piloto de avião é bastante volátil e sofre muito com eventuais crises econômicas. Quem já trabalha na área sabe que essa é uma carreira cíclica, cheia de altos e baixos.

Em 2011, por exemplo, o mercado estava bastante aquecido, com companhias anunciando a compra de novas aeronaves e seleções para pilotos e copilotos acontecendo constantemente, sem tantos requisitos. Esse cenário mudou, junto com uma certa estagnação da economia brasileira, só voltando a apresentar sinais de crescimento quatro anos depois, em 2015.

Segundo Bianchini, o mercado de aviação ainda permaneceu meio parado durante o ano de 2018 devido ao período eleitoral, mas acredita-se que isso deve mudar a partir de 2019. Geralmente, as contratações nas companhias aéreas acontecem em larga escala e representam um bom indicador de crescimento.

No primeiro semestre deste ano, a Latam, uma das maiores companhias do Brasil, realizou 228 novas contratações. O cenário mundial também vem melhorando: após crises com custo altíssimo de leasing e financiamentos contratados não honrados, a aviação executiva e a civil voltam a engatinhar para o crescimento.

Segundo um estudo da Airbus Global Market Forecast, o número de viagens, só na América Latina, deve dobrar nas próximas duas décadas. Esse mesmo estudo aponta que somente para atender essa região serão necessárias cerca de 2.720 novas aeronaves, com um valor investido de aproximadamente US$ 350 bilhões. Isso com certeza também aumentará a demanda por novos pilotos.

Os requisitos para ser um piloto de avião

Agora você já sabe o que fazer para ser um piloto de avião e como anda o mercado para essa profissão. Mas será que você tem o que é preciso para ser bem-sucedido? O que você pode fazer para se destacar e aumentar as chances de contratação, mesmo em tempos de crise?

De acordo com o nosso piloto entrevistado, o primeiro passo é estudar muito. O investimento em cursos e materiais é essencial para quem almeja o sucesso. Para muitas companhias, ter uma graduação na área de Ciências Aeronáuticas é um grande diferencial. Quem quer ingressar nessa carreira tem que ter a consciência de que o investimento em educação é mais do que necessário.

A fluência no inglês também é primordial, visto que boa parte dos materiais e toda a comunicação é feita nesse idioma. O conhecimento em outras línguas também pode fazer você se destacar. Quanto mais idiomas se conhecer, mais portas se abrirão.

Se manter atualizado também é muito importante nesse ramo, já que novas tecnologias estão sendo apresentadas constantemente. Livros com conteúdos atuais e notícias sobre o setor devem ser sempre acompanhados. Isso pode ser feito por meio de sites de notícias e plataformas especializadas em aviação, como a própria Bianch.

Por fim, podemos dizer que o essencial para ser um bom piloto de avião é o amor. Afinal, “aviação é uma das profissões que a pessoa precisa ter muito amor e ter afinidade, pois demanda muito da pessoa, do tempo dela”, diz Bianchini. “Pilotar é algo extremamente gratificante pra mim. Todos que estão na área sentem essa sensação de liberdade, essa sensação maravilhosa de voar. Quando estamos lá em cima vemos que vale a pena o sacrifício dos anos em estudo e tentativas”, continua ele.

E aí, gostou deste conteúdo? Se quiser ficar por dentro de tudo sobre o mundo da aviação, é só seguir a gente nas redes sociais. Estamos no Facebook, Twitter, YouTube, Instagram e LinkedIn.

Powered by Rock Convert

Você também pode gostar

4 Comentários

  • Responder Ronaldo dezembro 27, 2018 at 9:44 pm

    boa noite, existe possibilidade de uma contratação acima de 45 anos com apenas 500 horas de voo? qual é sua opinião sobre isso?

    • Bianch
      Responder Bianch janeiro 21, 2019 at 7:28 pm

      Olá, existe sim, a experiencia de vida em outras áreas é bem importante, já vimos co-pilotos contratados de até 50 anos, depende muito do restante do Curriculo.

      Abraços!

  • Responder Livald fevereiro 24, 2019 at 10:01 pm

    Boa noite, qual é o custo real pra o curso de piloto privado até o comercial?

    • Bianch
      Responder Bianch março 8, 2019 at 2:32 pm

      Olá o senhor pode começar o curso quando desejar, o valor real varia muito.
      Se for apenas o teórico, se for o teórico e o prático, as carteiras que deseja, os aviões que irá voar, a região do Brasil.
      Infelizmente não podemos estimar pois são muitas variáveis.

    Deixe um comentário