Economia e Mercado

Retrospectiva da Aviação em 2018

dezembro 28, 2018
aviação 2018
Tempo de leitura 6 min

2018 foi um ano muito movimentado e que passou VOANDO literalmente. Na aviação brasileira tivemos uma quantidade imensa de notícias, fatos, acidentes, melhorias, mudanças e acontecimentos da aviação em 2018.

Na nossa retrospectiva vamos listar alguns dos principais que merecem destaque.

E você qual o fato da aviação que considera mais importante esse ano? Algum ficou de fora da lista?

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
Powered by Rock Convert

Acidentes Aéreos

De acordo com os relatórios da Aviation Safety Network, o ano de 2018 teve 196 acidentes aéreos com um total de 963 mortos em todo o mundo. O número foi puxado por 5 acidentes maiores que juntos somaram 695 das fatalidades, ou 72% do total, são eles:

– Queda do Antonov An-148-100B da Saratov Airlines em 11 de fevereiro, que deixou 71 mortos.

– Acidente do ATR 72-212 da Iran Aseman Airlines em 18 de fevereiro com 66 fatalidades.

– Em 11 de abril o Ilyushin Il-76TD da Algerian AF foi o maior acidente de 2018, com 257 mortos.

– O Boeing 737-201 da Cubana se acidentou em 18 de maio com 112 mortos.

– Queda do Boeing 737 MAX 8 da Lion Air em 29 de outubro com 189 fatalidades.

Por outro lado, 154 dos 196 acidentes não deixaram vítimas fatais. Mostrando que a segurança da aviação está cada vez maior em todo o mundo.

Dos acidentes de 2018, 16 ocorreram com aeronaves da Airbus, 20 com Antonovs, 7 com ATRs, 29 com Boeings e o restante com aeronaves de pequeno porte.

Já no Brasil, o ano de 2018 não contou com acidentes de grande porte e de acordo com o relatório foram 9 acidentes mais graves relatados no país. Sendo que a todos ocorreram com aeronaves de pequeno porte. Os mais marcantes do ano foram:

– Queda do Embraer BEM-720 em Manaus no dia 22 de fevereiro, com 4 fatalidades

– Em 22 de julho um Piper Seneca caiu em Paula de Freitas/PR, matando os 2 pilotos e o Deputado Estadual Bernardo Cali.

– Acidente do King Air em 29 de julho no Campo de Marte em São Paulo com 7 acidentados e 1 morte.

– Queda do Embraer BEM-711 em Planaltina de Goiás, com 4 acidentados e 1 fatalidade.

– Queda do Cessna C-210 em São Paulo, próximo ao Campo de Marte em 30 de novembro Este acidente foi importante pois levantou novamente a discussão sobre a desativação do aeroporto da Zona Norte da Capital do estado.

 

Fusão Boeing e Embraer

Após a compra de parte do programa de aviões de médio porte da Bombardier pela Airbus, o mercado passou a fervilhar rumores sobre uma possível aquisição da Embraer por parte da Boeing. Em meados de julho as duas empresas anunciaram o já esperado acordo que uniria os seus negócios, com a aquisição de 80% da Embraer por parte da Boeing.

A união das duas gigantes, gerou uma nova empresa, chamada de joint-venture, esta união geraria uma sinergia com uma redução de custos de US$150 milhões em 3 anos.

A fusão das duas empresas conta com o apoio de Michel Temer e de Bolsonaro, e o martelo deve ser batido já nos primeiros meses do mandato do presidente eleito. Lembrando que o governo brasileiro possui a chamada “Golden share”, que lhe garante o poder de veto na venda da companhia. Desta forma o apoio presidência é fundamental para a concretização da fusão.

Agora nos resta aguardar os próximos capítulos, mas o desfecho mais provável e que a compra seja concretizada em breve.

Crise da Avianca

Fizemos uma analise mais completa neste post e, sabemos que esta foi mais uma das notícias que chacoalharam a aviação brasileira este ano. No dia 11/12 a Avianca Brasil entrou com um pedido de recuperação judicial, de 50 milhões de reais, com o intuito de evitar a paralisação de suas atividades no Brasil. No entanto segundo a lista de credores anexada ao processo, o valor é de R$493,8 milhões.

Seus voos no entanto foram mantidos, e seus passageiros ainda não experienciaram grandes problemas com a cia aérea e a Avianca Brasil deve ainda receber um aporte de US$456 milhões da United Airlines.

Segundo um dos fundadores, a acordo já estava fechado a algum tempo, mas os arrendadores das aeronaves não esperaram o recebimento do aporte e entraram com o pedido de recuperação das aeronaves de maneira precipitada.

Liberação do Capital Estrangeiro

Com toda certeza esta foi a notícia mais impactante da aviação brasileira em 2018 e pegou a todos de surpresa. A injeção de capital estrangeiro na aviação brasileira deve dar o tom da nosso mercado nos próximos anos.

A situação da Avianca, por exemplo, tem grande chance de ser ajustada com a injeção de capital da United assim como a fusão da Embraer com a Boeing. Já o possível fim da Infraero irá gerar um grande fluxo de privatização de aeroportos por todo o Brasil, grande parte deles contará com capital estrangeiro. Finalmente a MP das Cias Aéreas, que deve ser um ponto primordial na nova política econômica do Brasil.

Para saber mais sobre a Medida Provisória que liberou 100% do capital estrangeiros em cias aéreas brasileiras você pode acessar este post que fizemos a alguns dias.

cias aéreas

cias aéreas

Privatização de Aeroportos e o Fim da Infraero

Embora as privatizações de aeroportos não sejam novidade no cenário brasileiro, este movimento vem se intensificando cada vez mais frequentes.

Em 2012 o governo federal arrecadou cerca de US$14 bilhões com os aeroportos de Guarulhos, Viracopos e de Brasília, anos depois muitos deles enfrentaram problemas devido a crise econômica que afetou a aviação nacional. Hoje 10 aeroportos já estão sob controle de empresas privadas e a expectativa é que este número aumente ainda mais.

As privatizações mais aguardadas serão as dos aeroportos de Congonhas e Santos Dumont, com leilão previsto para 2022 e devem ser os últimos que sairão do controle da Infraero que deverá ser extinta em seguida.

O governo Bolsonaro deverá oferecer ao todo 44 aeroportos para concessão privada, fora isso outros 15 já estão com leilão marcado para 15 de março de 2019. As privatizações, somadas ao aumento do capital estrangeiro e o crescimento da economia, está deixando o mercado extremamente otimista com a aviação para os próximo anos.

Em breve faremos um post sobre o que esperar para a aviação em 2019, até lá, se quiser ficar por dentro de tudo sobre o mundo da aviação, é só seguir a gente nas redes sociais. Estamos no Facebook, Twitter, YouTube, Instagram e LinkedIn.

 

 

Powered by Rock Convert

Você também pode gostar

1 comentário

  • Responder CLAUDECI JOSE DIAS AVILA janeiro 2, 2019 at 8:08 pm

    Voar sempre foi uma das maiores idealizações do Homem. A aviação, aeronaves e sobrevoos inspiram a criatividade e assim como voar é consequência da aspiração de ir além do ser humano.

  • Deixe um comentário