b-2-o-aviao-mais-caro

B-2: O Avião Mais Caro da História

Tempo de leitura 2 min

Já pensou em um avião com potencial nuclear, capacidade de carga de 20 toneladas e ainda invisível aos radares inimigos? Existe apenas um modelo no mundo que corresponde a todas essas características: o bombardeiro Northrop Grumman B-2 Spirit, também conhecido como B-2,o avião mais caro da história.

Em cerca de 30 anos de sua criação, foram produzidos 21 modelos do tipo, cada um custando uma média de 2,1 bilhões de dólares. Atualmente (Fevereiro de 2021) isso equivale a quase 11,4 bilhões de reais.

O grande diferencial que torna o avião tão caro é sua capacidade de permanecer invisível aos radares inimigos, possibilitando um verdadeiro ataque surpresa.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.

Para ser invisível aos radares, a empresa norte-americana Northrop teve que investir em criações de ferramentas, softwares e aquisições de materiais e equipamentos bem complexos. Basicamente, é o design do avião, que interfere na rota da onda do radar, que o impede de ser detectado.

Além disso, o B-2 passa despercebido também por sistemas que detectam calor, ondas eletromagnéticas e condensação do ar. Isso porque todos os materiais utilizados para sua fabricação, inclusive as tintas para pintura, não produzem ondas suficientes para serem percebidas e o modelo não causa condensação do ar.

Ou seja, realmente imperceptível!

A importância do avião B-2 na história

A criação do avião B-2 se deu na década de 1980, em contexto de Guerra Fria e constante ameaça nuclear entre União Soviética e Estados Unidos. Por isso, tanto dinheiro, inteligência e esforço americano foram direcionados para a invenção do modelo — que conseguiria percorrer grandes distâncias, suportar cargas consideráveis e, claro, permanecer invisível para os radares soviéticos.

equenta black friday

Para se ter uma noção, o avião pode alcançar mais de 18 mil quilômetros logo após ser reabastecido, além de ter a capacidade de lançar armas poderosas – como 80 bombas Mk ou, ainda, 16 bombas nucleares B83. Portanto, seu poder de destruição é inédito.

Com o fim da Guerra Fria, a verba para a sua fabricação caiu consideravelmente. Isso explica o pequeno número de modelos existentes. Hoje, cerca de 20 aviões B-2 continuam em operação, sobretudo em conflitos no Oriente Médio, em países como Afeganistão, Iraque e Líbia.

Dada a magnitude do B-2, não é de se surpreender que o avião detenha diversos recordes históricos. Um dos mais importantes é o título de missão mais longa. Em 2001, durante conflito com o Afeganistão, o modelo americano marcou 70 horas consecutivas de missão, com uma parada de 45 minutos – na qual os motores permaneceram ligados.

Pela sua importância e relevância em contextos de guerra, desde a Guerra Fria até hoje, o avião B-2 também já marcou presença em diversos filmes Hollywoodianos, principalmente os que abordam a temática bélica.

Alguns dos mais importantes protótipos do avião apareceram foram “Independence Day”, “Armageddon”, “Rampage” e longas de super-heróis como “Homem de Ferro” e “Capitã Marvel”.

Gostou do conteúdo? Então não deixe de conferir o site da Bianch, com mais de 3 mil produtos da área de aviação!

Para ficar por dentro de tudo sobre o mundo da aviação, nos siga nas redes sociais e acompanhe nossas melhores publicações! Estamos no Facebook, Twitter, YouTube, Instagram, Pinterest e LinkedIn

Conheça a eBianch, a maior plataforma de ensino a distância para pilotos e entusiastas de aviação, Centro de Instrução de Aviação Civil homologado pela Anac, acesse www.ebianch.com

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.