Formação Aeronáutica

Conheça os principais regulamentos de tráfego aéreo

19/08/2019
regulamentos-de-trafego-aereo

Entender como funcionam os Regulamentos de Tráfego Aéreo é uma tarefa complexa e desafiadora para quem deseja se tornar um piloto de excelência e desempenhar suas funções com qualidade.

Nesse sentido, existem muitas informações disponíveis em diversos manuais, na própria legislação e nos demais regimentos, tanto nacionais quanto internacionais.

O ponto aqui é que o conteúdo disponibilizado costuma se encontrar em uma linguagem técnica e pouco didática, o que acaba por exigir mais tempo, atenção e capacidade de interpretação do futuro profissional. O aspirante a piloto tem pela frente o desafio de estudar os regulamentos de tráfego aéreo, extrair e absorver as informações mais importantes desse material.

Mas afinal, o que deve ser lido? Como estudar todo o regimento da maneira correta e de forma mais eficiente? É possível reunir o conteúdo e trabalhá-lo de forma mais didática? Pensando nisso, este artigo apresenta aos leitores as principais informações a respeito dos Regulamentos de Tráfego Aéreo. Confira!

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
Powered by Rock Convert

A importância do estudo dos Regulamentos de Tráfego Aéreo

O candidato que decide disputar uma vaga como piloto aéreo profissional  deve ter um conhecimento sólido das matérias teóricas envolvidas na aviação.

Cada disciplina a ser estudada guarda as suas particularidades e importância. No entanto, a dedicação do candidato deve ir além. As autoridades aeronáuticas exigem, além do estudo das matérias (listadas a seguir), a realização de provas e avaliações todos os anos e ao longo de toda a sua carreira como piloto profissional.

Todo esse processo tem como objetivo avaliar as habilidades, a competência e os conhecimentos do piloto. A aprovação nesses exames, inclusive, é condição essencial para a revalidação da carteira e do Certificado de Habilitação Técnica.

Confira, a seguir, as cinco disciplinas que devem ser devidamente estudadas:

  • Regulamentos de Tráfego Aéreo;
  • Navegação Aérea;
  • Meteorologia;
  • Conhecimentos Técnicos;
  • Teoria de Voo.

A matéria de Regulamento de Tráfego Aéreo, em especial, consiste em um estatuto complexo e difícil de ser compreendido. Ele envolve diversos conceitos como:

  • siglas técnicas;
  • tipos de áreas do espaço aéreo;
  • procedimentos críticos;
  • plano de voo;
  • tipos de serviços ATS (Serviços de Tráfego Aéreo).

Nesse sentido, apesar de ser um complexo de normas e documentos que exige um estudo árduo, todo o conhecimento que é adquirido  é fundamental para que o profissional consiga desenvolver habilidades de voo importantes e possa embasar as suas decisões da melhor maneira possível.

Diante disso, dá para se ter uma ideia da importância de obter um livro instrutivo que apresente todos os materiais referentes aos Regulamentos de Tráfego Aéreo, em especial no início da carreira, quando o candidato ainda é novato e pouco experiente. O que se recomendado aqui é adquirir um material atualizado e que apresente uma boa didática e figuras ilustrativas, facilitando assim o entendimento.

É importante entender que a ANAC prevê tipos de conteúdos programáticos diferentes a depender da licença de cada piloto. Desse modo, ele só poderá avançar para o curso de piloto comercial/IFR, caso entenda perfeitamente todas as matérias referentes ao curso de piloto privado/VFR.

Os Regulamentos de Tráfego Aéreo

Aqui você vai conhecer agora os principais tipos de Regulamentos que tratam da circulação no espaço aéreo. Continue acompanhando.

Plano de voo

Trata-se de um documento que apresenta as principais informações sobre o voo planejado pelo piloto. Ele deve ser apresentado ao AIS e ser devidamente aprovado pelo órgão de controle.

Informações do plano de voo

Nesse sentido, as informações ali contidas devem apresentar dois elementos principais:

  • cálculo do consumo de combustível pela aeronave;
  • conformidade do plano de voo desenvolvido com o controle do tráfego aéreo.

Esse plano exibe informações, como:

  • aeroportos de decolagem e de aterrissagem;
  • aeroportos disponíveis para eventual necessidade de pouso inesperado: pane no sistema elétrico ou problemas técnicos na aeronave, pouco combustível e más condições do tempo, por exemplo;
  • eventuais rotas alternativas a serem utilizadas;
  • velocidade, altitude e nível da aeronave;
  • tempo estimado da viagem;
  • quantidade de passageiros a bordo (POB) etc.

Tipos de Plano de Voo

Esses documentos podem ser divididos em algumas modalidades: Completo, Simplificado e Repetitivo. Confira, a seguir, as características principais de cada um desses modelos.

Completo (PLN)

A entrega do plano de voo completo é obrigatória para:

  • voos comerciais IFR acima FL 150;
  • voos privados ou comerciais (VFR/IFR) que tenham que voar AWY e/ou na FIR, (se a aeronave tiver rádio de comunicação);
  • voo que cruze as fronteiras internacionais, independentemente do fato de apresentar uma rádio ou não.

Simplificado (NTV)

A apresentação do plano de voo simplificado é obrigatória nos seguintes casos:

  • voo VFR local e VFR especial (são realizados no limite TMA / ATZ / CTR ou até 50 km do AD);
  • voos feitos de helicóptero do tipo VFR.

Repetitivo (RPL)

Esse documento somente é usado pelas companhias aéreas que oferecem aviação regular. Esse plano deve ser enviado para os órgãos de controladoria com uma certa regularidade (geralmente a cada 2 semanas).

Áreas do espaço aéreo

O espaço aéreo é o local onde acontece a movimentação de aeronaves. Ele é composto por duas partes: inferior e superior. Você vai conhecer, a seguir, as principais particularidades de cada uma dessas áreas.

Superior

Começa a partir do FL 245. O espaço é dividido em áreas controladas (UTA) e não controladas.

Inferior

Compreende o espaço que vai da altura do solo até o nível FL 245. Ele é dividido em: áreas não controladas (chamadas de FIR ou Região de Informação de Voo) e quatro áreas controladas:

  • ATZ — Zona de Tráfego de Aeródromo
  • CTR — Zona de Controle
  • TMA — Área de Controle Terminal
  • CTA — Área de Controle Inferior

Além disso, o espaço aéreo é dividido em sete classes, que vão de A a G. Cada uma delas apresenta regras específicas com relação à separação entre aeronaves, o limite de velocidade, a comunicação por rádio e a autorização para voar fornecida pelo órgão de controle de tráfego aéreo.

Os Regulamentos de Tráfego Aéreo são documentos essenciais que vão apresentar os conceitos da aviação, as estratégias de voo e todos os aspectos técnicos que envolvem essa modalidade profissional. Para isso é importante adquirir materiais de estudos de qualidade. Dessa forma, o candidato estará reunindo condições para se tornar um piloto competente e para que consiga construir uma carreira de sucesso.

Além de dominar os conhecimentos técnicos e teóricos, é importante estar confiante. Quer algumas dicas para a aprovação? Então, confira nosso post sobre como se preparar para uma entrevista de emprego de piloto!

Para ficar por dentro de tudo sobre o mundo da aviação, nos siga nas redes sociais! estamos no Facebook, Twitter, YouTube, Instagram, Pinterest e LinkedIn e acompanhe nossas melhores publicações.

 

Powered by Rock Convert

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário